Hidrata, querida!

Hidrata, querida!

bridgid_ryan-nappy-As donas dos cabelos crespos e cacheados já sabem: hidratação salva. Aquela rotina de pegar o creme, usar uma touquinha (ou sacola de plástico mesmo rs) e esperar os trinta minutos milagrosos realmente faz bem pro nossos fios. É nessa hora que colocamos nosso cabelitcho pra recuperar a queratina e as proteínas perdidas.

O cabelo crespo é naturalmente mais ressecado. A hidratação, quando bem feita, devolve o brilho para os cabelos e aparência de fios mais saudáveis. Além disso, ajuda a reduzir o frizz e consequentemente, melhora a definição dos cachos. Ideal fazer o procedimento pelo menos uma vez no mês (depende do tipo de cronograma que você montar também).

Eu amoooo hidratar. É páreo com a nutrição (que também ajuda muito no ressecamento).

Alguns cremes são meus favoritos (Haskell Mandioca, Quina Rosa, Amigo de Milho e Desmaia Crespíssimo da Salon Line), mas também sou fã das receitinhas caseiras ❤

Ah, a foto linda que ilustra esse texto é de @bridgid_ryan , encontrei no https://www.nappy.co/  . Depois falo mais sobre esse site, é um banco de imagens somente com fotos de pessoas negras. Show, né?! ❤

Bruna Dias

Anúncios
Paciência e foco na transição capilar

Paciência e foco na transição capilar

 Esses dias perguntei pra Andrizzy porque ela entrou em transição capilar. Estava escrevendo mais uma história pra nosso cantinho “Conversando Sobre”. Ela no Estado da Paraíba (JP), mas temos uma coisa em comum: a transição capilar. Está há 3 meses voltando aso cachos – no comecinho ainda! O bom é que tudo que ela me contar vai ficar registrado aqui e quando seu cabelo estiver enooorme ela vai poder ler tudinho e lembrar como valeu a pena.

o que achei (12).png

Andrizzy entrou em transição porque estava pranchando o cabelo demais, toda semana. Certo dia, viu um fio todo danificado – imagina o desespero – e aquilo a chocou.

“Fez com que eu me arrependesse de todos os anos de química. Foram 7 anos alisando, porque desde novinha eu faço definitiva no meu cabelo. Eu quis voltar como era antes, também eu entrei na Igreja e tudo isso fez com que eu reconhecesse como Deus me ama do jeito que Ele me fez”.

A internet

“As blogueiras me motivaram e eu estou vendo muitos vídeos sobre transição capilar. A Ana Lídia Lopes, do blog Apenas Ana, é minha maior inspiração e os nossos cachos, creio eu, são parecidos”.

A ansiedade

“Eu sou muito ansiosa para que o cabelo cresça, mas eu rezo muito para eu ter paciência. Meu cabelo ainda está médio/grande, porque eu estou no começo da transição. Cortei pouco, mas não afetou em nada”.

 

o que achei (13).png

Ela conta que a mãe foi a que mais gostou da sua decisão, mas que uma tia que era cabeleireira (e que fazia o seu cabelo), ainda julga até hoje.

Pra fechar, o recado de Andrizzy, pra quem assim como ela, está iniciando a transição:

É bom que você tenha foco, porque é importante saber aonde quer chegar. Ter uma motivação, uma inspiração. São essas coisas que nos ajudam a passar por essa fase um pouco melhor. Também é importante não ouvir os maus julgamentos!”

Foi um prazer conversar com você, Dizzy! Quem quiser acompanhar a transição dela é só ficar de olho no Instagram: dizzy em transição!  E aí, curtiram o bate papo? Me manda sua história também! É só mandar um oi clicando aqui! ❤

Beijos, Bruna D.

A Transição da Eliane!

A Transição da Eliane!

o que achei (2).png
Pra quem você quer ser referência? Começo com essa pergunta porque hoje voltamos com a categoria “Conversando Sobre” com uma história muito especial. Vamos falar sobre a transição da Eliane Silva. Eu e Eliane nos acompanhamos no Instagram e eu fico feliz de saber que uma ajuda a outra a superar os momentos difíceis dessa fase e a comemorar cada etapa que a gente ultrapassa.
Eliane alisou o cabelo por vinte anos. Achava seus fios naturais feios e sem forma. Até que ano passado, sua filha cacheada de 5 anos perguntou se era bom ter cabelo liso. “Eu já não estava satisfeita com o alisamento, meu cabelo parecia uma palha… a pergunta da minha filha me chocou”, conta.

elaine silva

Foi nesse momento que Eliane percebeu que ela era a referência pra sua filha.
Com um ano de transição, as duas se orgulham dos cachinhos: “Ela ama os cachos e se orgulha daquilo que Deus nos deu. Não é fácil ser cacheada, dá bastante trabalho, mas a satisfação é grande”.
“Hoje somos mãe e filha cacheadas, nos amamos como somos e isso é maior que qualquer padrão ou ditadura de beleza”.
Que história linda, né?! Força pra esses cachinhos dourados!
Vamos trazer mais histórias curtas que ilustram como as pessoas passam pelas fases da transição e como é importante a gente se ajudar e se sentir representada. Quem quiser mandar sua história sinta-se a vontade, estamos juntas!
Beijos, Bruna Dias 
Você sabe o que é Co-Wash?

Você sabe o que é Co-Wash?

BOXBRAIDS.png

Voltei, agora pra ficar! Fiquei um tempo afastada do blog, de mal com meu cabelo. Mas, ainda bem que tudo passa, não é mesmo?! Cá estou eu. O motivo da DR foi a secura. Meu cabelo resolveu tornar nossa relação áspera. Sem conversa, eu podia passar o que fosse, hidratação daqui, nutrição de lá. Algumas pessoas me disseram que a gente precisava de uma reestruturação capilar. Fizemos o teste de porosidade: cara, só podia ser isso! Olha, tentamos, mas ainda assim não deu muito certo.  Eu queria me separar. Eu queria cachos definidos.

Eis que lendo e relendo vimos uma técnica que poderia ser a solução dos problemas: o Co-Wash existe e taí pra ser feito. Vou testar por um mês e mostrar os resultados. Mas afinal, como isso funciona?

Resumindo, o Co-Wash é uma técnica em que não se usa shampoo para lavar o cabelo. Pode parecer bem estranho, porque a sempre cresce aprendendo que o shampoo é o que limpa os fios. Na verdade, no Co-Wash quem vai limpar o cabelo será o condicionador. Isso porque os shampoos tradicionais que a gente usa têm algumas substâncias que ressecam muito o cabelo, como o sulfato.

É só imaginar que o shampoo limpa tanto, tanto, que tira a oleosidade natural do cabelo!

Resultado de imagem para omg gif

Minha luta: Sou neurótica com lavagem, sempre que posso lavo. Daí vira uma guerra. cabelo resseca com o shampoo, produz mais oleosidade e em menos tempo eu já tenho vontade de lavar de novo!

Mas e esse condicionador aí? Vai lavar?

Sim. O condicionar vai fazer uma limpeza não tão agressiva, então não vai retirar a oleosidade natural do cabelo. O resultado é que os fios não ficam ressecados e os cachos ficam mais definidos, com menos frizz.

Pode dar ruim? Sim!

Não vai ser qualquer condicionador que vai limpar o cabelo. A gente sabe como fica quando passa só condicionador, acaba acumulando oleosidade. O condicionador não pode ter petrolatos (parafina ou óleo mineral), nem silicone.  Os produtos liberados normalmente tem indicação na embalagem, mas vale ler o rótulo também, até pra saber se eles possuem agente limpante.

Eu ainda não testei, então pedi ajuda pras experts no assunto. De acordo com o blog Mulheres Divando, por exemplo, essa técnica não é tão indicada pro pessoal que tem a raiz oleosa, ou alguma doença tipo seborreia, porque o condicionar na raiz pode piorar a oleosidade. O indicado é usar um shampoo (de preferência livre das substâncias “ruins”). Eu gosto muito do shampoo low poo Cachos Sim, da Haskell. A Arylle Barros do @cacheiamiss e a Mafê Souza @souzamafe não se deram bem com a técnica porque sentem a oleosidade pesar 😦

Como lavar:  Na hora de lavar, vai só o condicionador mesmo: molha o cabelo por um tempo, deixa bem molhado, depois passa condicionador para co-wash e não precisa esfregar. Enxágue. Se precisar, pode utilizar outro condicionador diferente para fechar as cutículas, se você sentir que ficou seco. Se achar que ficou oleoso, talvez seja legal usar um shampoo liberado na raiz e ir se adaptando. Eventualmente a oleosidade vai pesar e talvez tenha necessidade de usar um shampoo normal. O importante é ir diminuindo a quantidade de substâncias que ressecam o cabelo.

Vou testar o condicionador Co-Wash da Bio Extratus e digo como senti a primeira lavagem. É isso, vamos ver se recupero essa relação!

Um beijo, Bruna