Nota sobre meu bigchop

Nota sobre meu bigchop

Ontem eu e meu cabelo completamos 365 dias curtinhos. Isso mesmo, fiz um ano de bigchop. Já falei tanto sobre ele, que decidi escrever só uma declaração. A transição é uma escolha feliz e sofrida. E a decisão do grande corte também. Ninguém deve se sentir pressionado a fazê-lo, bem como ninguém deve ser obrigado a entrar em transição.

O bigchop, pra mim, foi tudo aquilo que disseram: uma vontade, uma libertação, a melhor coisa que fiz durante toda transição. Com apenas 6 meses, já parecia impossível viver com duas texturas.

Hoje vejo como meu cabelo cresceu muito mais rápido depois do corte e como eu consegui cuidar melhor dele. O principal é olhar no espelho e não precisar me preocupar com as partes lisas. O bigchop é como aquela imagem que todas as meninas em transição já devem ter visto: você tira tudo que cobre você e, de repente, você floresce.

Bom bigchop para todas que decidirem que é a hora. Um ano depois não tenho vergonha de admitir que fui corajosa.

Beijos,

Bruna Dias

Anúncios