Minuto em dia: Cabelo cai mais na transição

Minuto em dia: Cabelo cai mais na transição

blog

Da série “parece estranho, mas é normal”: o cabelo cai mais na transição capilar. Quem está ou passou por esse processo deve ter percebido o chão do banheiro cheio de fios de cabelo. Ainda que isso seja assustador, principalmente neste momento em que tudo que queremos é que o cabelo cresça e cacheie o mais rápido possível, não há motivos para se preocupar. Se você reparar, o cabelo não está caindo, ele está quebrando!

Claro que eu li sobre isso em vários sites, depois de me descabelar de nervoso. Uma dica é dar uma olhada no manual da transição capilar , do site Desventuras de uma cacheada.

Entendendo melhor: o que acontece na maioria das vezes é que o cabelo quebra na divisão entre o cabelo natural (fios novos) e o alisado (parte do fio com química). Isso ocorre porque nosso cabelo “novo” é divo naturalmente! Mais forte e resistente, fragilizando a parte que já sofreu muito com químicas.

Algumas saídas para amenizar a quebra:

Evitar pentear o cabelo seco – Pentear o cabelo seco pode quebrar os nós que se formam nos nossos fios. Na hora de pentear o ideal é dividir o cabelo em partes para desembaraçar

Evitar penteados apertados – Esses penteados tipo rabo de cavalo podem esticar demais os fios ou marcá-los em alguns lugares, fazendo com que quebrem

Seguir o cronograma capilar – O cronograma capilar, a rotina de cuidados e o uso de produtos adequados para cada tipo de cabelo ajudam fortalecer os fios, evitando quebra ou queda.

E ai, como tá sua transição?!

Inspirações e Fontes: Desventuras de uma cacheada + Maquiada e Cacheada 

Um beijo, Bruna

Anúncios
Testando! Diva de Cachos da Niely

Testando! Diva de Cachos da Niely

nielyOláaa! Na semana passada, uma amiga me deu um sache da linha Diva de Cachos da, Niely Gold, que ela ganhou no Rock in Rio. Foi amor à primeira vista, quer dizer, primeiro uso. Veio um pouco da Gelatina Mix e do Creme de Pentear Turbinado. A ideia é juntar os dois, e eu amei o resultado! Comecei então a busca pelos cremes hahaha e não encontrei. Ganhei os dois da Ana Mello e da Sheila Albuquerque, que trabalham na mesma empresa que eu, e que participaram de um evento da L’Oreal.

O resultado: A misturinha da primeira vez fez aquele efeito durinho no cabelo, que molda, mas sem ressecar. Da segunda não senti muito esse efeito (não sei porquê), mas continuei gostando. Decidi sair um dia só com a misturinha e ela segurou o dia todo, resultado que eu só consigo com vários cremes na cabeça. Em determinado momento, achei o cabelo ressecado, mas a poeira e a sujeira de um dia inteiro faz isso. Meu cabelo não ficou melecado, o cheiro é muito bom e os produtos não pesaram. Achei incrível o poder de modelar e dar volume da gelatina, ela ainda tem protetor solar. Não fiz a misturinha meio a meio, coloquei mais creme de pentear para não ficar com aspecto ressecado ao secar.

Na farmácia só encontrei a linha Soft Poo (que tem  embalagem rosa). Pesquisando mais, me assustei com a quantidade de produtos, as linhas são bem completas, contam com cremes de pentear (versão Turbinado e Pop), shampoo, gelatina, óleo e um “ampolão”. O valor do creme e da gelatina é uns R$ 12,00 mais ou menos.  A gelatina é liberada pra No Poo, os cremes são liberados para Low.  Alguns dos produtos tem  D- Panthenol, Karité, Argan, óleo de coco e Macadâmia.

Esse lançamento da Niely é recente e é voltado para os tipos 3abc e 4a. Acho que para tipos 2abc os produtos podem “pesar” nos fios. Como acho que meu cabelo está entre 3b e 4a,  o resultado foi um dos melhores que já tive com gelatinas e cremes.
É isso! Obrigada aos envolvidos rs ❤
Beijos, Bruna
Minuto em dia: Não se esquece de passar protetor solar… no cabelo!

Minuto em dia: Não se esquece de passar protetor solar… no cabelo!

EBAO verão está batendo à porta- digo, abrindo e entrando! -, e já está na hora de pensar nos novos cuidados que devemos tomar com nossas madeixas. Obviamente, eu nunca parei pra pensar porque precisava passar filtro solar no cabelo. No máximo comprava algum creme de pentear para usar no verão, muito por causa dos comerciais que surgem nesta época do ano, todos coloridos, sempre com aquela mulher balançando o cabelon, correndo na praia, se jogando na piscina, torcendo o cabelo pra provar que ele não quebra… EITA. Já deu pra entender né.

A verdade é que o verão, tão querido e aguardado, pode trazer alguns probleminhas para os nossos fios, que também sofrem com os danos causados pelos raios ulta-violeta (UVA e UVB). O sol lascando, aquela piscininha cheia de cloro e o mar delicioso podem provocar ressecamento, pontas duplas, envelhecimento, frizz e desbotamento. A gente não quer nada disso e quem pode nos salvar é o protetor solar.

Como eu já esperava, dei uma pesquisada, e o mais comum é achar o filtro no leave-in ou creme de pentear. Eu tenho alguns da Novex. Para aplicar, é só passar o creme no cabelo úmido, antes de correr pro sol e, depois do mergulho, ou a cada duas horas, enxugar o cabelo com água limpa e reaplicar. É tipo protetor solar mesmo, pra proteger do sol e hidratar, formando uma película em torno dos fios, pra que eles não fiquem ressecados. Algumas pessoas indicam passar sempre, até em dias nublados, o que não é tão difícil, já que muitos cremes, shampoos e condicionadores já vêm com filtro.

Como o ressecamento já é um grande vilão dos cabelos crespos, invisto bem na hidratação. Meu cronograma conta com esse cuidado pelo menos 2 vezes por semana.

Não pode dar mole, heim! Fique de olho no creme que você usa. Projeto cabelo hidratado e saudável no verão desde já!

por: Bruna Dias

Fontes: All Things Hair , Beleza e Saúde 

Texturização com bigudinho

Texturização com bigudinho

Bom domingo! Esse fim de semana foi bem família, e como percebem, voltei às atividades aqui no blog. Hoje trouxe uma visita ilustre! Minha mãe!!! Ela vai falar sobre texturização. Isso mesmo, ela está há 3 meses sem química nas madeixas, completou 1 mês de cronograma capilar (orgulho define!). Resolveu dar uma disfarçada no cabelo que está crescendo e mostrar para vocês! (Ela não quer chamar esse período de transição, mas vamos lá).

Eu já comentei aqui que muitas meninas tentaram texturizar o cabelo para disfarçar as duas texturas e ficaram bem frustradas. Eu mesma tentei e não curti muito o resultado, preferia amassar mesmo os frios, fazendo fitagem.

Mas não é que a minha mãe consegue um resultado muito legal? O pacotinho com 12 bigudins custou R$ 6,00, ou seja, são bem baratos!

Ficou curiosa(o)? Com a palavra, mamis:

Como fazer – TEXTURAÇÃO COM BIGUDINS 

Com cabelo seco, umidificar usando apenas água no borrifador.

Passar creme de pentear (leave-in) e enrolar o cabelo  nos bigudins, em mechas pequenas. Espera secar completamente, o que dura mais ou menos 1h.

Depois desse tempo, retirar os bigudins. O cabelo ficará todo enrolado, para dar volume, passe óleo nas mãos e vá soltando os cachos, SEM pentear com pente ou escova (para não desmanchar os cachinhos). Vá “penteando” com as mãos.

Espia só:

Durante a transição (1)

 

Durante a transição (2)

E aí, curtiu o resultado? Eu amei!!! 😉 ❤

Por: Bruna Dias e Rose Dias

OH Yamasterol

OH Yamasterol

Todo mundo sabe que o Yamasterol está  entre os cremes mais queridinhos das brasileiras. Lembro muito bem da embalagem e do cheiro, que me remetem na mesma hora à minha infância cacheada rs
Voltei a usar o Yamasterol Amarelo depois que cortei o cabelo. Não via muita diferença, achava muito ralo, mas hoje consigo aliar a outros cremes e gelatinas e adoro o resultado.

De acordo com a Yamá, marca do creme, ele hidrata, protege, desembaraça e dá brilho aos fios. Desses superpoderes, o que eu mais sinto no Amarelinho é a facilidade em pentear (desembaraça mesmo). Isso porque ele é composto de Babosa e D-Pantenol, então não faltam componentes hidratantes e vitaminas antioxidantes dentro daquele potinho fofo. O que não tem mesmo é silicone e óleo mineral.

O Yamasterol está há anos no mercado, desde 1967, com preço super acessível e resultado visível! É multifuncional! Vou falar sobre algumas formas de usar abaixo, mas, por enquanto, só testei como leavin-in e na umectação.

❤ ❤ ❤

Creme para pentear (leave-in) 

É o jeito que eu mais uso. Não precisa de enxague, só aplicar e deixar agir como um creme de pentear mesmo pra segurar o frizz e dar brilho.

Umectação

Para fazer umectação com Yamasterol é só misturar ele com algum óleo. Eu já usei para tirar a umectação. Amei o resultado e expliquei neste post.

Máscara de tratamento

Substitui o creme de tratamento por Yamasterol! Simples assim.

Pré-shampoo

Outra forma de usar o Yamasterol é antes de lavar o cabelo. É a técnica chamada pré-poo. Serve para proteger o cabelo do ressecamento das lavagens. Para fazer, tem que passar o produto um dia antes e lavar e deixar agir, sem enxaguar. Depois lava normalmente.

Condicionador

Dá para usar após o shampoo também, como condicionador. A textura rala deixa o cabelo bem levinho.

Não tem desculpa pra não incluí-lo no cronograma. Tudo isso bem baratinho, comprei o de 200g por R$ 4,99. Existem outros da família: hoje comprei o rosinha (queratina) de 200g por R$ 4,80 e o branco com tampa azul (Yamasterol Proteína Hidrolisada) 90g saiu por R$ 2,80. Depois conto o que achei!

E você, já testou todos? Me fala 🙂

Beijos, Bruna Dias

Montando o Cronograma! – Parte 2

Montando o Cronograma! – Parte 2

montando cronograma
Photo: Getty Images

No último post falamos sobre o Cronograma Capilar. Foi só a primeira parte! Agora que sabemos para que serve cada tratamento, vamos montar o nosso cronograma. O ideal é preparar uma rotina para 30 dias, com intervalo de 48hrs para cada etapa.

  1. Primeiro temos que levar em consideração o estado do seu cabelo:
  • Sem brilho e sem maciez – precisa de Hidratação
  • Opaco e com pontas duplas – Nutrição
  • Quebradiços, elásticos e com frizz – Reconstrução
  1. Montar o calendário por semana:

Para cabelos saudáveis

Se o cabelo está saudável, não precisa fazer reconstrução por muitas vezes (lembra que excesso pode prejudicar). Então o cronograma para esse tipo de cabelo privilegia a hidratação.

Cronograma Capilar (2)
Esse é o chamado cronograma “oficial”
  • 1ª Semana: 1 Hidratação + 1 Nutrição
  • 2ª Semana:1 Hidratação + 1 Hidratação
  • 3ª Semana: 1 Hidratação + 1 Nutrição
  • 4ª Semana: 1 Hidratação + 1 Reconstrução

Para cabelos levemente danificados

Aqui você pode intercalar entre hidratação e nutrição.  Bom para cabelos que estão opacos, ressecados, mas ainda não apresentam queda ou muita elasticidade.

  • 1ª Semana: 1 Hidratação + 1 Nutrição
  • 2ª Semana:1 Hidratação + 1 Nutrição
  • 3ª Semana: 1 Hidratação + 1 Reconstrução
  • 4ª Semana: 1 Hidratação + 1 Nutrição

 Para cabelos muito danificados

Não precisa nem dizer. É aquele estado que estamos passando mal com o nosso cabelo: frizz, elasticidade, quebra 😦 Precisa de reconstrução mais de uma vez no mês, respeitando o conselho de não abusar.

  •  1ª Semana: 1 Hidratação + 1 Nutrição + 1 Reconstrução
  • 2ª Semana:1 Nutrição + 1 Hidratação +Nutrição
  • 3ª Semana: 1 Hidratação + 1 Nutrição + 1 Reconstrução
  • 4ª Semana: 1 Hidratação + 1 Hidratação + 1 Nutrição

Qual eu uso: Eu intercalo o cronograma. Alguns meses uso o primeiro, outros o segundo. Depende de como percebo os fios. Em breve vou falar sobre quais produtos eu indico para cada etapa. Adianto um post muito interessante do #todecacho, sobre o cronograma. Lá eles especificam os componentes que os produtos de cada etapa devem ter. Vale conferir 😉

Beijos! Bruna Dias

#perguntadodia: qual seu tipo de cabelo?

#perguntadodia: qual seu tipo de cabelo?

tipos-de-cabelos.jpg
Tabela perfeita do Cabelo Afro  

Uma das maiores novidades pra mim durante a transição capilar foi descobrir que existiam classificações reais para diferentes tipos de cabelo. Vou falar aqui da mais simples e que está presente na maioria dos cremes que uso: a classificação de Andre Walker. 

No final do post listarei alguns blogs BEM legais que falaram sobre isso e me ajudaram bastante. Achei super importante conhecer as graduações de cabelo, porque muitas vezes eu reclamava de determinado creme e ele simplesmente não era feito para o meu tipo, ou seja, match errado! E desfeito…

Vamos lá! Você, como qualquer outra pessoa, já ouviu falar das 4 graduações de tipos de cabelo: liso (1), ondulado (2), cacheado (3) e crespo (4). Até aqui tudo fácil, né? Mas, esses tipos de cabelo possuem subdivisões, e é aí que começa a ficar complexo. São elas: A, B e C.

TIPO 1 

Para descomplicar, é só imaginar aquele cabelo extremamente liso, sem nenhuma ondulaçãozinha. Esse é um original Tipo 1A. Agora, se o cabelo tiver uma leve ondulação nas pontinhas, será Tipo 1B. Caso ele tenha ondulação mais definida, for pesado e grosso, será um Tipo 1C. Pronto, essas foram as três variações do cabelo liso (Tipo 1).

TIPO 2

Os cabelos ondulados são mais fáceis de identificar. São os Tipo 2. O 2A não é liso, nem pesado, é aparentemente amassado, em forma de ondinhas. Já o 2B deixa de ter aparência amassada e apresenta um formato de S, bem mais para as pontas. O 2C traz um ondulado volumoso em formato de S também, só que a partir da raiz do cabelo.

TIPO 3

Chegamos no tipo cacheado. O Tipo 3A é aquele que tem cachos (sim, cachos em formato de mola!) grandes (largos) e soltinhos. Está ficando fácil rs O 3B é aquele mais enroladinho, o cacho menor e mais fechado. E o 3C é o tipo cacheadinho, bem apertadinho. Esse cabelo já apresenta mais volume e frizz.

TIPO 4

O Tipo 4 representa os cabelos crespos. Aqui, observamos que os fios começam a perder a definição dos cachos e geralmente são mais secos porque a oleosidade do couro cabeludo tem mais dificuldade de chegar às pontas. O 4A mantem a forma de S, porém é ainda mais apertado que o tipo 3C. O 4B traz mais volume, mas perde definição, ganhando a forma de Zig Zag. O 4C perde a definição de cacho, tem formato de Z, é mais seco que os anteriores, mas tem bastante volume.  As pessoas dizem que esse último não forma cacho, mas muitos dizem que forma sim, porém bem pequenos. É o cabelo mais volumoso entre todos os tipos.

Antes do bc eu tinha o medo bobo do cabelo não cachear, mas quero ressaltar que pra mim não importa mais se o cabelo (natural) forma cachos ou não. Não gosto da ideia de sair da química para se prender ao cacho completamente perfeito, cada tipo de cabelo é de um jeito. Eu vou, claro, tentar defini-lo e cuidar da melhor forma… ah, vocês já viram as divas que existem com cabelo tipo 4?! Se não, comece pela Gabi Oliveira. 

Voltando… Essas são as classificações! Mas, como tudo na vida, nada é apenas “isso” ou “aquilo”, então, algumas pessoas podem ter mais de um tipo de cabelo na cabeça! Conseguir identificar qual é o seu irá ajudar na melhor forma de trata-lo. Agora já sabemos, por exemplo, que os cabelos crespos são mais secos naturalmente, então podemos apostar nas hidratações calculando intervalos mais regulares (é o que eu faço). Uma linha que eu uso bastante é a #Todecacho da Salon Line. Eles lançaram a “Que tal”, que foi desenvolvida especialmente para cada tipo de curvatura. Gosto do “Crespíssimo”, para cabelos do Tipo 4: define bastante e mostra que dá para arrasar por ai formando cachinhos hidratados mesmo nas categorias mais crespas. Ah, os produtos vêm com essa tabela abaixo. Note que eles classificam o 3B e o 3C como crespo.

todecacho

Bom, eu ainda não descobri em qual subcategoria do Tipo 4 meu cabelo está. Estou passando ainda por scab hair* em algumas partes que não cresceram de forma igual e talvez tenha que cortar um pouquinho de nada só para tirar umas pontas teimosas.

Acho que agora ficou fácil responder: qual seu tipo de cabelo? 😀 

*Scab hair é o nome dado ao cabelo que nasce logo após as químicas, ou seja, fios que foram afetados pelo alisamento, ou pela chapinha, secador etc., não formando o cacho totalmente.

Indico leitura: 

O guia completo sobre os tipos de cabelo – Carol Souza

Tipo de cabelo: como identificar o seu? – Cabelo Afro

Vem saber qual a graduação dos seus cachos – Belle Almeida 

Bruna Dias